"Fui além do diabetes" - série Diabetes e Eu

Sou Tayna e fui diagnosticado com diabetes aos 18 anos, depois do meu primeiro ano de faculdade em 2010. Meu médico me disse que eu precisava perder cerca de 10 quilos e perdi, mas acabei ganhando esse peso mais alguns anos depois. Eu estava em um ponto ruim da minha vida, me sentindo deprimida sempre. Alguns anos depois, decidi mudar minha vida, perder peso e controlar meu açúcar no sangue.


Como você lidou com o Diabetes?


Era isso que a vida me mostrava, mas não enxergava como uma doença, passei por uma negação a princípio no início. Eu estava comendo coisas que provavelmente não deveria, estava saindo para comer mais, de uma maneira que talvez subconsciente queria acreditar que o diabetes não tinha controle sobre mim. Na época, eu estava na pós-graduação estudando


educação nutricional, então sabia o quão sério era o diabetes e o que aconteceria se eu não se controlar. Depois de algumas dessas negações e, eventualmente, aceitá-las, fiz as alterações necessárias. Decidir ir além da doença e ter qualidade de vida. Mudei minha rotina alimentar, incluir atividades físicas ao ar livre e principalmente informação sobre o que realmente é o diabetes.


Você levou bastante tempo para aceitar o Diabetes, o que você diria às pessoas com diabetes que podem se sentir sozinhas?

Eu diria que estenda a mão para alguém que faz você se sentir emocionalmente e mentalmente seguro. Procure consolo em grupos e bate-papos nas mídias sociais. Também recomendo a leituras sobre o assunto.

É importante compartilhar e ver como as pessoas vivem e lidam com seu próprio diagnóstico e com qualquer tipo de diabetes. Todos temos perspectivas diferentes, e trata-se de conectar pessoas na comunidade e construir um espaço seguro para que possamos prosperar e fortalecer. É ótimo ver como as pessoas podem ser solidárias e ter um impacto positivo na vida de outras pessoas.