O que comer para melhorar a imunidade contra vírus?

Nos últimos dias, me perguntaram muito sobre alimentos para imunidade.

Qual é o caminho certo para fazer isso? Quais alimentos? Quanto? Com um grande surto de coronavírus no mundo, é importante que você tome as melhores decisões na hora de escolher os alimentos.

Para começar, quero listar quais alimentos derrubam sua imunidade: -Carne enlatada.

-Frutas enlatadas ou em caldas. -Biscoitos e doces, alto teor de açúcar, alto teor de gordura (trans), extremamente pobre em micronutrientes / vitaminas essenciais. -Batatas fritas, alto teor de gordura (trans), alto teor de sal, extremamente baixo em micronutrientes / vitaminas essenciais. -Carnes curadas (carne seca, salame), teor exorbitante de sal e gordura (trans).

-Cereais açucarados e mingau instantâneo, alto teor de açúcar.


Imagine de repente introduzir todos os alimentos acima em nossas dietas de uma só vez, especialmente em casos de pandemia... Isso poderia nos deixar mais doentes, não apenas por indigestão, mas também por uma súbita alteração prejudicial do nosso microbioma intestinal:

"Um jardim microbiano diversificado e equilibrado é a chave para nossa imunidade e capacidade de combater infecções, vírus e bactérias".

Aqueles de nós com pressão alta, diabetes, doenças cardíacas, baixa imunidade ou já combatendo uma infecção o cuidado é redobrado.

O que fazer?

Nosso sistema imunológico requer muitos micronutrientes essenciais. Se nossa dieta é ruim, é mais provável que tenhamos um resfriado ou uma doença infecciosa.

Para reduzir nosso risco de contágio por COVID-19 do ponto de vista do gerenciamento nutricional, o objetivo imediato é duplo:


  • Aumentar nossa ingestão de macro e micronutrientes que apoiam o sistema imunológico e minimizam o risco de deficiência, em particular vitaminas C, D e A e minerais como zinco e ferro.

  • Parar de ingerir alimentos ricos em calorias, e baixos em micronutrientes essenciais.

  • Aumentar nossa ingestão de produtos frescos, como frutas, legumes, ervas, legumes e sementes, é útil e ainda é possível devido os alimentos da safra terem menos agrotóxicos.


É aí que o foco deve estar, mesmo que isso signifique também comprar legumes congelados, que geralmente contêm um teor mais alto de vitaminas do que os vegetais enlatados.

Congelar legumes 'protege' micronutrientes e antioxidantes preciosos durante o período de armazenamento, incluindo vitamina C necessária para a proteção imunológica.

Há um equívoco de que vegetais congelados não são nutritivos ou perdem suas propriedades. Para finalizar, este é o momento de focar no fortalecimento do valor nutricional de sua dieta e 'alimentar seu sistema imunológico', por assim dizer, em particular:

Vitaminas essenciais, como vitaminas C (por exemplo, brócolis, pimentão misto ), D (por exemplo, de ovos, queijo cottage, filetes de salmão congelados) e A (por exemplo, as cenouras, elas possuem betacaroteno que será convertido em vitamina A). Minerais essenciais como magnésio (por exemplo, de sementes de abóbora e gergelim), ferro (por exemplo, passas, ameixas secas, tâmaras, amêndoas, salsa seca) e zinco (por exemplo, raiz de gengibre, castanha-do-pará, nozes, ervilhas, gemas de ovos e grãos de trigo integral, centeio e aveia) Prebióticos (os alimentos que contêm estes incluem alho em pó, aveia sem açúcar, quinoa, feijão, banana e maçã) Probióticos (de alimentos fermentados como iogurte, chucrute e kombuchá) Se estes não estiverem disponíveis adequadamente em forma de alimento, é hora de começar a considerar a suplementação.